Dos Palabras (Ft. Paula Fernandes) - Pablo López

Tudo acabou depressa, se congelou a brisa
Foram duas palavras, foram duas palavras
Não disse nada estranho, não quis causar-lhe um dano
Mas o medo pesa mais que a razão
E eu que sou alguém que negou o caminho
E escapei
Corri como um pobre menino
Recordei que às vezes o mundo é sério
Foram duas palavras
Foram duas palavras

Quisimos evitarlo, quizás disimularlo que
Eramos cobardes, sólo dos cobardes
Culpables e inocentes, de sueños diferentes
Que se perdonaban hasta la verdad
Y tú, jamás, pensaste que me lo dirías
Pero yo callé más de lo que debía
Nos cegó la luz de aquél último día
Fueron dos palabras
Fueron dos palabras

Y yo, que soy un perro que no tiene dueño
Me escapé, corrí como un niño pequeño
Recordé que a veces el mundo va en serio
Fueron dos palabras
Fueron dos palabras

Foram duas palavras